Podiatria

Pé diabético ulcerado

Podiatria Clínica é uma especialidade da enfermagem que se dedica aos cuidados com os pés de pessoas portadoras de diabetes mellitus e indivíduos em processo de envelhecimento. Estas duas condições são responsáveis por alterações que podem comprometer a sensibilidade e a mobilidade dos pés, podendo causar lesões na pele, alterações nas unhas e aumentar as chances de queda.  A área da Podiatria abrange com base em conhecimento científico o tratamento e assistência de enfermagem ao portador de feridas crônicas, seja qual for sua etiologia.
A intenção deste blog é fornecer informações e esclarecer dúvidas sobre saúde, principalmente com relação à saúde dos pés e pele, com objetivo de prevenir lesões e agravos que o diabetes pode trazer para a saúde, promovendo assim qualidade de vida.

 

Informativo:

Pé Diabético: definido pela OMS como “situação de infecção, ulceração ou também destruição dos tecidos profundos dos pés, associado a anormalidades neurológicas e vários graus de doença vascular periférica nos membros inferiores de pacientes com DM”. Pode ser classificado em pé neuropático, isquêmico ou neuro-isquêmico. Estas alterações se não tratadas podem evoluir para gangrena e amputações, sendo que cerca de 50 a 70% das amputações não traumáticas em membros inferiores são decorrentes de pé diabético (BRASIL, 2006). Neste contexto é de suma importância a realização do exame dos pés pelos profissionais de saúde e pelos próprios pacientes, mais uma vez a questão da educação em saúde se faz necessária, pois vários estudos têm demonstrado que programas preventivos que incluem educação, exame regular dos pés, identificação do risco neuropático e vascular podem contribuir para redução de lesões em 50%.

 

Porque é importante prevenir:

.  85% das amputações de membros inferiores relacionadas ao diabetes são precedidas de úlceras nos pés;

.  As indicações mais comuns para amputação são gangrena, infecção e úlcera não cicatrizada;

.  A prevalência de úlcera nos pés é de 4 a 10% da população diabética;

.  80% – 90% das úlceras são causadas por agentes externos (fissuras, calçados, objetos);

.  O calo plantar aumenta o risco de ulceração nesta região em 30%;

.  85% das amputações de MMII são preveníveis.

 Dicas para melhorar a saúde dos pés:

.  Examine seus pés e esteja atento quanto a  presença de sangue ou exsudatos (pus);

.  Visualizar a formato dos pés, contorno, cor (palidez e vermelhidão);

.  Observar temperatura (pontos quentes e frios – sinalizam sinais de infecção ou insuficiência arterial);

. Observar unhas (espessamento e cor das unhas – a cor arroxeada ou avermelhada pode indicar sangramento dentro ou sob as unhas, unhas esverdeadas ou amareladas pode indicar presença de fungos);

.  Observar deformidades, presença de varizes e perda de pêlos;

.  Evitar banhos quentes, pois desidrata a pele;

.  Não testar temperatura da água com os pés;

.  Usar sabonete líquido e neutro;

.  Secagem dos interdígitos, se possível com secador de cabelos ou toalha separada para este fim;

.  Lubrificar os pés – preferir óleos ou loções a base de ácido graxo essencial e evitar passar entre os dedos;

.  As meias devem ser de algodão, sem costura e sem elástico;

.  Observar os sapatos antes de calçá-los na procura de objetos que podem ocasionar lesões;

.  Em calos ou hiperqueratoses, não mexa, evitando o aparecimento de lesões;

.  O desbastamento de calos deve ser realizado por profissional treinado.

 

Sapatos:

.  Sapatos adequados ajudam a distribuir os pontos de pressão;

.  Devem proteger os pés insensíveis;

.  Devem evitar a formação de calos, bolhas, vermelhidão e feridas.

.  Bico quadrado

.  Sem costura interna

.  Biqueira alta

.  Solado duro

.  Couro macio

.  Salto baixo

.  Fechados

.  Tamanho adequado

*  Devem ser comprados no final da tarde

Autoras:

Alessandra Ferreira da Silva – Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina (UNIFESP/EPM). Pós Graduada em Enfermagem em Podiatria Clínica pela Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina (UNIFESP/EPM). Pós Graduanda em Enfermagem em Estomaterapia pela Universidade de Taubaté (UNITAU) e Membro Associado da Sociedade Brasileira de Estomaterapia.

*Cristiane Aluíza Gonçalves – Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina (UNIFESP/EPM). Pós Graduada em Enfermagem em Podiatria Clínica pela Universidade Federal de São Paulo – Escola Paulista de Medicina (UNIFESP/EPM). Pós Graduanda em Enfermagem em Estomaterapia pela Universidade de Taubaté (UNITAU).

Visite o Blog das autoras: http://estomaesaude.blogspot.com.br/

Link da imagem: http://1.bp.blogspot.com/-yxq3FZvSTYo/T0U36cYLGZI/AAAAAAAAAII/v9mC9jFiSOU/s1600/ulcera.jpg

 

4 Comentários

  1. Queria saber se a podiatria também é uma area da podologia?

    • Pedro

      Oi, Camila, vamos encaminhar sua pergunta para a especialista citada no post. Caso ela não te responda a tempo, pode nos contatar novamente. Abçs. Equipe Cuidar Bem SP.

  2. narley

    esta especialidade é reconhecida pelo cofen?

    • Pedro

      Não é reconhecida pelo COFEN.
      A profissão de cuidadores não tem sindicato ou qualquer outra organização.
      Não está subordinado nem a área social, nem médica.
      Informações trabalhistas sobre cuidadores podem ser encontradas no site: https://www.domesticalegal.com.br/
      Nele você poderá encontrar informações sobre cargos e funções. Há também um blog que pode ser útil.
      Um abraço,
      Márcia

Deixe um comentário